Como superar a insatisfação profissional no trabalho *Por Taciana Ferreira

A insatisfação profissional é um sentimento recorrente para muitos profissionais e seu elevado índice, que passa e muito dos 50% em quase todas as pesquisas de mercado, não é de hoje.

Esse descontentamento pode ocorrer tanto na carreira, ou seja, com a profissão exercida e/ou trajetória escolhida como com o emprego atual.

Identificar os motivos de insatisfação é o primeiro passo. Abaixo listo os motivos mais comuns, sendo as 3 primeiras, respectivamente, apontadas em uma pesquisa de 2021 realizada pela empresa de recrutamento Robert Half, sendo os motivos top 3 para a baixa satisfação.

·        Baixo salário

·        Poucas oportunidades de crescimento

·        Falta de reconhecimento

·        Excesso de tarefas

·        Metas e objetivos inalcançáveis

·        Desalinhamento de valores

·        Solicitações urgentes e sem prazos

·        Relacionamento ruim com a chefia ou colegas

·        Clima organizacional ruim

·        Falta de comunicação

·        Falta de desafios

·        Falta de autonomia e liberdade

·        Cobranças indevidas

·        Muitos anos na mesma atividade

·        Liderança insatisfatória

·        Falta de feedback

·        Gestão e políticas sem estrutura ou engessadas

·        Falta de realização

·        Ritmo frenético

·        Estresse

·        Tédio

·        Descrença, ocasionado por incoerências e promessas não cumpridas

·        Não gostar do que faz

·        Atração por outra área

Consequências

Seja qual for o motivo, a infelicidade no trabalho pode trazer sérias consequências para o profissional e para a empresa, como:

 ·                   Falta de concentração e foco

·                   Desmotivação

·                   Desengajamento

·                   Baixa produtividade

·                   Distrações

·                   Erros repetidos

·                   Impaciência

·                   Procrastinação

·                   Queda na qualidade de vida

·                   Pensamentos e comportamentos nocivos

·                   Comprometimento da saúde mental e até física

·                   Acidentes de trabalho

Esses sinais, entre outros, servem de alertas tanto para os profissionais quanto para as empresas de que algo está errado.

Por onde começar a mudança?

Muita calma nessa hora! Tenho visto pessoas que, na ansiedade de sair dessa situação, tomam atitudes impensadas ou precipitadas e acabam entrando em um ciclo vicioso de más escolhas e, consequentemente, frustração. 

A melhor maneira de superar a insatisfação é primeiro, reconhecer que ela existe, segundo, identificar os reais motivos da insatisfação, terceiro, falar do problema e procurar uma solução com os envolvidos e por fim, caso não encontre a solução e apoio necessário, a saída é revisitar ou elaborar, caso não tenha, um Planejamento Pessoal de Carreira. Isso te dará uma visão geral do caminho a percorrer e irá minimizar os riscos te dando maior segurança e assertividade. 

Dentro desse plano, deverão ser trabalhadas 4 questões essenciais:

1.      Objetivos

Consiste em ter clareza do que você quer para sua vida profissional, considerando sempre os desafios da área e os prós e contras da possível mudança. 

2.      Interesses

Isso significa considerar suas paixões, preferências, afinidades e gostos profissionais, que podem ou não ter sidos explorados, unindo com uma atividade que lhe dê prazer com rentabilidade.

3.      Recursos (internos e externos)

Consiste em analisar as oportunidades e ameaças externas e as habilidades, pontos fortes e fracos, disposição e mentalidade para a mudança, crenças limitantes e propulsoras, situação financeira, entre outros pontos.

4.      Necessidades

Consiste em preencher e desenvolver as lacunas que estão entre seu estado atual e o seu estado desejado, sem perder de vista o alinhamento entre vida pessoal e profissional.

Esse plano é indispensável para alcançar os objetivos estipulados e se sentir realizado porque permite um olhar para dentro de si, revelando o que realmente importa ao mesmo tempo que organiza e define prioridades e ações concretas. 

Quando procurar ajuda?

O cenário ideal é que a insatisfação fosse trabalhada em conjunto com a empresa, mas como nem sempre isso acontece (ou pela falta de boas políticas de desenvolvimento ou pelo despreparo da liderança, que ignora ou nem percebe que algo está errado com seus liderados) é necessário buscar ajuda profissional.

Quando não for possível encontrar uma solução ou os sentimentos parecem confusos e perdidos, a orientação profissional é muito útil, pois com aplicação de ferramentas adequadas e diálogos profundos, é possível alcançar maior clareza no assunto.

É importante ter em mente que existe uma profissão ou emprego ideal para você, a questão é identificá-la e encontrá-la. Portanto, existe solução! E você pode contar com a minha ajuda se preferir para te conduzir com segurança nesse processo. É só clicar aqui e preencher um formulário que iremos agendar uma conversa.

*Taciana Ferreira é orientadora profissional capacitada pelo Portal Vocacional, para cadastro completo acesse: http://portalvocacional.com.br/taciana-silva-ferreira/