Como ter destaque em seu currículo – por Fernanda Soliani Pereira*

Sei que o cenário econômico ainda não está normalizado e existem muitas pessoas desempregadas pelo país, procurando recolocação a todo custo. E como consequência, a concorrência nos processos seletivos está ainda maior porque existem muitos profissionais qualificados disponíveis no mercado. Por este motivo, precisamos dar atenção especial ao nosso currículo, pois ele é o documento que vai informar à empresa um breve relato sobre você, suas qualificações e experiência profissional.

Estudos revelam que os profissionais da área de Recrutamento e Seleção demoram, em média, 6 segundos para analisar um currículo. Chocante, não é? Por isso que é tão importante investir tempo para deixar seu currículo o mais atrativo possível.

Um bom currículo deve conter: dados pessoais, objetivo, formação acadêmica, síntese das qualificações, idiomas estrangeiros, experiência profissional e cursos extracurriculares ou formação complementar. Ele deve ter, no máximo, 2 páginas para profissionais experientes. Para quem não tem experiência profissional ou tem pouco tempo de carreira 1 página é suficiente.

Vou comentar brevemente sobre os principais pontos que observei ao longo dos meus anos de experiência:

· Não informar número de seus documentos no currículo e nem o nome de seus pais, irmãos, avós, etc. Estas informações são desnecessárias. Basta informar seu nome completo, bairro, cidade e Estado de onde mora, celular, e-mail e endereço do LinkedIn.

· Cuidado com seu e-mail pessoal. Alguns são totalmente inadequados (gatinhamanhosa.1990@…… por exemplo). Nada contra criar um e-mail com seu apelido, mas pensando em um ambiente profissional, isso é inaceitável.· O currículo sempre deve ter um objetivo, que é sua expectativa em relação ao cargo que deseja assumir. Entretanto, cabe ressaltar que se estiver respondendo um anúncio específico, você deve informar neste campo o título da vaga que está se candidatando. Lembro de uma situação em que anunciei vaga para a área de Recursos Humanos e recebi um currículo que tinha no objetivo: atuar na Área de Comércio Exterior. É claro que este profissional não foi incluído no processo seletivo. Portanto, verifique o que está escrito no seu objetivo e, se necessário, faça a adequação de acordo com o caso.

· Não envie seu currículo para uma vaga que não se enquadra em seu perfil. Entretanto, se você tem interesse em mudar de área de atuação, primeiro terá que se qualificar minimamente na nova área para conseguir participar de processos seletivos. Neste caso, sugiro que procure um profissional de transição de carreira para te orientar.

· Procure deixar seu currículo fluído, com o texto bem disposto no papel, sem deixar tudo compactado e de difícil leitura.

· Lembra de quando eu disse que o currículo é analisado em 6 segundos? Por isso evite colocar textos muito longos. Prefira utilizar frases curtas para falar sobre sua experiência profissional, destacando as ações de maior responsabilidade e/ou impacto e resultados obtidos. E separe-as com marcadores para facilitar a leitura.

· Só coloque no currículo idiomas estrangeiros nos quais tem algum conhecimento. Se você se candidatar para alguma vaga que exige nível avançado de inglês, pode ter certeza que em algum momento do processo seletivo o idioma será avaliado, seja por meio de teste escrito, oral, redação, etc. Se você estuda algum idioma estrangeiro há um bom tempo, consegue manter uma conversação, mas se sente inseguro, eu sugiro que arrisque e se candidate à vaga. Muitas vezes nosso nível de exigência com nós mesmos é muito alto e não acreditamos em nossa capacidade e nosso nível de conhecimento no idioma é mais que suficiente para a vaga que pleiteamos.

Espero ter contribuído com as informações acima e se quiser maiores detalhes, entre em contato comigo. Terei prazer em ajudar.

*Fernanda Soliani Pereira é orientadora profissional capacitada pelo Portal Vocacional – Cadastro completo no site: http://portalvocacional.com.br/fernanda-soliani-pereira/

Foto: PIXABAY